Responsabilidade Social Empresarial

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Responsabilidade social

A preocupação com ações de carácter social constitui uma prática com longos anos.

O conceito de responsabilidade social na sua definição actual é plural, no sentido em que os gestores não devem prestar contas apenas aos accionistas, mas, antes, a todos os que se relacionam com as empresas, ou para cujo negócio contribuem. Esta pluralidade encerra igualmente o conceito de distribuição, na medida em que abrange toda a cadeia produtiva, devendo as empresas incorporarem práticas socialmente responsáveis, processo de incorporação esse que deve ocorrer, não só no produto final, como em toda a cadeia produtiva.

A responsabilidade social é, cada vez mais, uma das maiores preocupações das empresas. Esta preocupação é importante pelo impacto que tem na sociedade em geral e nas comunidades mais necessitadas em particular.

A responsabilidade social das empresas materializa- se em duas dimensões: a interna e a externa.

Na sua dimensão interna, as práticas socialmente responsáveis relacionam-se com a gestão dos recursos humanos, a saúde e segurança no trabalho, a adaptação à mudança e a gestão do impacto ambiental e dos recursos naturais.

Na sua dimensão externa a responsabilidade social das empresas materializa-se na rede de relações com as comunidades locais, com os clientes e fornecedores, com os accionistas e investidores, na observância dos direitos humanos consagrados universalmente, bem como, na gestão global do meio ambiente.

Na dimensão interna, é possível identificar um conjunto de políticas de gestão de recursos humanos, potenciadoras do bem-estar e, consequentemente, do reforço da competitividade da empresa e do desenvolvimento social.

Estas políticas advogam:

  1. a existência de práticas de recrutamento responsáveis, não discriminatórias e atentas à igualdade de oportunidades e à diversidade,
  2. a inclusão de efectivos planos de formação e aprendizagem contínua ao longo da vida,
  3. a criação de condições que permitam um melhor equilíbrio entre a vida profissional e a dimensão extra profissional de cada colaborador e, ainda,
  4. a preocupação quanto à segurança dos postos de trabalho ou, pelo menos, quanto à manutenção de altos níveis de empregabilidade.

Na sua dimensão externa, a responsabilidade social das empresas traduz-se, em primeira instância, na adequada integração na comunidade onde estão inseridas e com a qual estabelecem um conjunto de relações biunívocas, fornecendo oportunidades de emprego, e beneficiando da existência de uma comunidade próspera e estável.

As práticas de responsabilidade social empresarial deverão ir para além dos requisitos legais a que as empresas devem obedecer, considerando a diversidade de quadros legais e regulamentares existentes à dimensão global.

Os dez princípios que compõem o Global Compact e em obediência aos quais as empresas devem:

  1. apoiar e respeitar a protecção de direitos humanos reconhecidos internacionalmente;
  2. assegurar-se da não participação em violações desses direitos;
  3. apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efectivo do direito à negociação colectiva;
  4. apoiar a eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório;
  5. apoiar a erradicação efectiva do trabalho infantil;
  6. apoiar a igualdade de remuneração e a eliminação da discriminação no emprego;
  7. adoptar uma abordagem preventiva para os desafios ambientais;
  8. desenvolver iniciativas para promover maior responsabilidade ambiental;
  9. incentivar o desenvolvimento e a difusão de tecnologias ambientalmente sustentáveis;
  10. actuar contra qualquer forma de corrupção, incluindo a extorsão e o suborno.

Uma abordagem global à responsabilidade social das empresas pressupõe a existência de práticas responsáveis nos vários domínios: mercado, recursos humanos, ambiente e comunidade. Esta abordagem é fundamental para o desenvolvimento sustentável, deverá ser integrada na estratégia da empresa e nos seus sistemas de gestão.

 

As empresas socialmente responsáveis não só elevam a satisfação dos funcionários e a fidelidade dos seus clientes e, possuem uma maior capacidade de competitividade e inovação.

Cláudia Carvalho

Cláudia Carvalho

Licenciada em Serviço Social, com Pós-Graduação em Gestão de Recursos Humanos.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

Categorias

Este é o seu BLOG

A temvalor.pt esta empenhada em disponibilizar conteúdo que realmente lhe interesse e por isso os seus comentários são muito importantes para nós… Gratifique os profissionais com a sua interacção, terá o mesmo significado que uma salva de palmas tem para um artistas ou actor. Obrigado

Publicações Recentes

Siga-nos

Receba a nossa newsletter

Receba no seu email todas as nossas novidades!